Explicações Iniciais

Este site foi criado como forma dos alunos da Escola Villare compartilharem entre si as análises de documentos históricos e produções culturais feitas nas aulas de história do professor Leandro Villela de Azevedo. Para mais informações visite o site do professor: www.profleandro.com

terça-feira, 23 de março de 2010

"A gente somos inúteis"- Traje á Rigor

Ano:1983 - 1985
Quem:Traje á Rigor
Para Quem:para o povo brasileiro
"A gente não sabemos
Escolher presidente
A gente não sabemos
Tomar conta da gente
A gente não sabemos
Nem escovar os dente
Tem gringo pensando
Que nóis é indigente..."

Ele quis dar a idéia de que o povo era burro, não sabe fazer nada direito sem a ajuda do
governo, e que só existia eleição para governador e queriam para presidente.

"Inútil!
A gente somos inútil!
Inútil!
A gente somos inútil!"

Idéia de que o povo não presta, de que é inútil e ainda fala errado.

"A gente faz carro
E não sabe guiar
A gente faz trilho
E não tem trem prá botar
A gente faz filho
E não consegue criar
A gente pede grana
E não consegue pagar..."

Ele cita também que na época uma estrada foi feita para passar pelo
o Brasil todo, de uma ponta a outra, mas não foi terminada, ou seja, gastou dinheiro para nada.
Que não dava para criar filho naquela situação e que o Brasil (governo) pediu emprestado
dinheiro para outros países, e ficou com muitas dividas (que foi paga só em 2008).


"Inútil!
A gente somos inútil!
Inútil!
A gente somos inútil!

Inútil!
A gente somos inútil!
Inútil!
A gente somos inútil!
Inútil!
A gente somos inútil!
Inútil!
A gente somos inútil!

A gente faz música
E não consegue gravar
A gente escreve livro
E não consegue publicar
A gente escreve peça
E não consegue encenar
A gente joga bola
E não consegue ganhar..."

Com a ditadura militar, não podiam publicar nada sem a autorização do governo e na copa
de 1982, o Brasil perdeu.

"Inútil!
A gente somos inútil!
Inútil!
A gente somos inútil!
Inútil!
Inútil!
Inútil!
Inú! Inú! Inú..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário